Deprecated: mysql_connect(): The mysql extension is deprecated and will be removed in the future: use mysqli or PDO instead in /home/unive830/public_html/includes/conect.php on line 2
como acabar com ratos no forro em Vila Guaça - SP | Universo Ambiental

como acabar com ratos no forro em Vila Guaça - SP

COMO ACABAR COM RATOS DE FORRO E TELHADO

Como acabar com ratos no forro Vila Guaça - SP com melhor preço e garantia 24hs

Como acabar com ratos no forro Vila Guaça - SP: Oferecemos serviço de desratização, controle de ratos, em Vila Guaça - SP, a dedetizadora de ratos, matar, elimina colônia, não vai acaba com os ratos nem eliminar vai controlar. Os ratos são encontrados no mundo inteiro vivendo sempre em associação com o homem, originários da Ásia. Acompanharam os homens no desenvolvimento de suas culturas até atingirem todos os continentes. Transportados por navios à partir da Índia e do Golfo Pérsico, para o Mar Vermelho, África e Mediterrâneo. Na época das Cruzadas (século XIII e XIV) já eram combatidos com o uso de arsênico. O primeiro roedor a aparecer foi o rato de telhado (rattus rattus) e na América do Sul seu aparecimento foi no Peru no ano de 1544. A ratazana (ratus novergicos) tem a sua origem, seguindo os mesmos caminhos, e chegando à Europa no começo do século XVIII e posteriormente à América. Adaptou-se em ambientes subterrâneos formando túneis (tocas) com grandes profundidades. Os camundongos (mus musculus) tiveram origem na Rússia e Irã e daí disseminaram-se pelo mundo através das rotas das caravanas desde do século IX. Os roedores são os piores inimigos do homem; causam-lhes prejuízos econômicos, transmitem doenças e são encarados como pestes caseiras. Após a Segunda Grande Guerra Mundial foram desenvolvidas diversas técnicas e procedimentos para a eliminação dos roedores, com programas que abrangiam todas as áreas relacionadas às infestações.

desratização desratização em Vila Guaça - SP 

Dedetizadora em Vila Guaça - SP, atende todos os dia da semana inclusive no feriado, ligue e solicite o orçamento sem compromisso. A Universo Ambiental realiza trabalhos de Desratização, com equipe pronta e equipada para atende-lo 24horas. Oferecemos uma visita gratuita com atendimento imediato e um orçamento sem compromisso.Dedetizadora em Vila Guaça - SP realizado serviços de Desratização, Descupinização, Limpeza de caixa d água Limpeza de galeria, Dosentupimento de esgoto e Limpeza de caixa de gordura em toda a região de Vila Guaça - SP. A empresa Universo Ambintal, tem uma vasta experiência no mercado de controle de pragas urbana e limpeza tecnica industrial em Vila Guaça - SP. Os ratos são portadores de 18 espécies de pulgas, piolhos, carrapatos, além do que transmitem mais de 35 doenças ao homem e animais domésticos. Nas indústrias, os estragos causados pelos ratos nos grãos armazenados, nas fiações elétricas têm causado incêndios de prejuízos incalculáveis.

Como podemos observar é de suma importância que cada um se conscientize da necessidade de proteger o seu ambiente contra esse animal que possui tamanha capacidade de proliferação.

A nossa empresa é dotada de sofisticados métodos de desratização contra roedores em Vila Guaça - SP, sejam eles camundongos (Mus musculus), Ratos de telhados (Rattus rattus) ou Ratazanas (Rattus norvegicus). Com métodos sem cheiro, sem sujeiras e totalmente seguros, sem riscos de contaminação de pessoas ou animais não alvos.

A empresa Universo Ambiental, tem uma vasta experiência no mercado de controle de pragas urbana em Vila Guaça - SP.

Universalmente temidos e abominados, os ratos, as ratazanas e os camundongos, vem acompanhando o homem na maioria das áreas habitadas do mundo. A facilidade de adaptação permitiu que estes roedores ocupassem, ao longo de vários séculos, todos os continentes, inclusive ilhas isoladas do Oceano Pacífico. O despejo irregular do lixo e o descuido do homem na manipulação de alimentos são fatores que também favorecem a dispersão destes roedores. No ambiente urbano, os roedores são responsáveis por grandes prejuízos econômicos, contaminando alimentos e ocasionando, inclusive, incêndios ao roerem o isolamento de fios elétrico.

Ratazanas, ratos e camundongos têm excelente capacidade de adaptação. São onívoros e consomem diariamente cerca de um décimo do seu peso em alimento. Possuem dois pares de dentes incisivos (um par no maxilar superior e um par no maxilar inferior), revestidos externamente por uma camada de esmalte muito resistente. Estes dentes crescem até três milímetros por semana. Para desgastá-los roem objetos de grande resistência, tais como: concreto, chumbo e madeira. A capacidade de reprodução dos roedores é extraordinária. Um casal pode produzir mais de 15.000 descendentes por ano, porém este número se reduz de forma drástica devido à ação de fatores limitativos que controlam o equilíbrio entre reprodução, migração e morte. Destacando-se: inimigos naturais, doenças, disponibilidade de alimentos e abrigos, etc.

HABILIDADES - SENSORIAIS

Olfato: Bastante apurado, com memorização dos diferentes gostos experimentados. Repelem alimentos deteriorados.

Tato: O sentido mais desenvolvido, ao nível de certos pelos sensoriais distribuídos pelo corpo e dos bigodes ou vibrissas, que são de grande utilidade para o seu deslocamento, beirando as superfícies laterais das paredes e dos obstáculos.

Audição: É um dos sentidos mais desenvolvidos, ajuda a detectar e escapar do perigo com antecedência. São sensíveis aos ultra-sons, mas adaptam-se aos mesmos, em pouco tempo.

Visão: Os ratos enxergam mal e não conseguem distinguir cores. Mas são bastante sensíveis às variações de intensidade luminosa, o que confere aos mesmos capacidade imediata de perceber movimentos.

HABILIDADES - FÍSICAS

• Passando a cabeça são capazes de se locomover pelo interior de canos, conduites e tubulações de diversos tamanhos.

• Roem vários tipos de materiais considerados duros, entre eles, madeira, tijolos, chumbo, alumínio, etc.

• Sustentam a respiração por até 3 minutos, e nadando dentro de um cano de esgoto, podem facilmente penetrar em uma residência através do vaso sanitário. Exímios nadadores, alcançando distâncias até 800 metros.

• Sobem pelo exterior de canos e calhas verticais que estejam separados de uma parede por até 7,5 cm de distância, apoiando as patas no cano e as costas na parede ou vice-versa

• Sobem pelo exterior de canos e calhas verticais que tenham até 9,5 cm de diâmetro, abraçando-se neles.

• Pulam verticalmente cerca de 1 metro de altura, partindo do chão.

• Caminham e equilibram-se sobre qualquer tipo de cano ou conduite horizontal.

• Acessam andares superiores de edificações, através do interior de canos e calhas com diâmetro entre 4 e 10 cm, usando para isso o apoio de suas patas e costas.

• Cavam tocas verticais no solo podendo atingir até 1,25 metros de profundidade.

• Ganham andares superiores de construções fazendo uso somente de quina de duas paredes como sustentação.

• Não sofrem qualquer tipo de ferimento em quedas até 15 metros de altura.

• Saltam horizontalmente até 1,2 metros de distância, partindo da imobilidade.

• As ratazanas e os ratos de telhado ou pretos vivem em colônias localizadas em lugares bem definidos. Já os camundongos formam apenas casais que se mantém juntos até o fim da vida.

• Os roedores exercem suas atividades predominantes à noite. Iniciam a procura de alimentos ao anoitecer e um repasse antes do nascer do dia. Apenas quando houver uma superpopulação ou falta de alimento ou de perigo serão vistos durante o dia.

PREFERÊNCIAS ALIMENTARES.

• Onívoros (comem de tudo). Preferem alimentos frescos aos estragados ou fermentados.

• Preferem cereais (grãos quebrados), frutas, carnes e peixes.

DOENÇAS TRANSMITIDAS.

• Leptospirose – Salmonelas.

• Peste Bubônica - Hantavírus

• Sarnas e Micoses

• Febre de mordedura - Tifo murino

PRINCIPAIS ESPÉCIES URBANAS:

• Ratazanas (Rattus Norvegicus).

- É o mais comum dos roedores urbanos. Tem hábitos noturnos, sedentários e agressivos. Normalmente vivem nas áreas externas das residências. Abrigam-se em tocas (ninheiros) e galerias que cavam as fundações dos edifícios, em depósitos de lixo, nos jardins, à beira de córrego ou valas. A rede de esgoto ou de escoamento pluvial, também, serve como abrigo para estes roedores.

- No interior de residências, abrigam-se entre pisos e paredes, nos espaços mortos de armários, etc...

- O corpo é robusto, podendo alcançar 25 cm de comprimento sendo revestido com pelos de coloração castanho-acinzentada. A cauda é grossa, pouco peluda e mais curta do que o conjunto cabeça e corpo. O focinho é rombudo, as orelhas são pequenas e dispostas para trás, encostadas à cabeça. Os pés traseiros são bem desenvolvidos, chegando a medir 37 mm.

- As fezes são grandes, escuras, cilíndricas e apresentam as extremidades arredondadas.

- Vive um ano em média. Atingem a maturidade sexual entre o segundo ou terceiro mês de vida. O período de gestação é de 22 dias, parindo oito ou dez filhotes por ninhada, procriando quatro ou cinco vezes por ano.

- Possuem hábitos semi-aquáticos e são excelentes nadadoras. Alimentam-se preferencialmente de peixes, carnes e cereais. Dificilmente ficam abrigadas em locais com distância superior a 45 m da fonte de alimento.

Rato (Rattus rattus)

- Conhecidos como "ratos de forro", são menores do que as ratazanas, ágeis e possuem o focinho afilado. A cauda é mais longa do que o conjunto cabeça e corpo, possibilitando um melhor equilíbrio. A coloração varia entre o preto e o cinza escuro. As orelhas são grandes e proeminentes. As fezes são fusiformes, medindo cerca de 12mm.

- Vivem cerca de 1 ano. A maturidade sexual é atingida entre o segundo e o terceiro mês de vida. O período médio de gestação é de 22 dias, parindo 4 e 8 filhotes anualmente com 5 a 6 ninhadas por ano.

- Abrigam-se acima do nível do solo. Em residências escondem-se em forros e sótãos. Nas áreas abertas, preferem o topo das árvores.

- São onívoros, preferem frutas, legumes e cereais. Dificilmente abrigam-se em locais com distância superior a 45 m da fonte de alimento.

• Camundongos (Mus musculus).

- É o menor dos roedores domésticos. Tem tamanho aproximado de 18 cm, sendo 9 cm de corpo e 9 cm de cauda. Seu peso é aproximadamente de 15 gramas. O corpo é pequeno e delicado, revestido com pelos de coloração acinzentada. As orelhas são proeminentes e os olhos são vivos e salientes. As fezes são pequenas, finas e com as pontas afiladas, podendo ser confundidas com as fezes de baratas.

- Vivem cerca de um ano e com dois meses (68 dias) já são considerados adultos. O período de gestação é de aproximadamente 19 dias e a ninhada comum varia de quatro a oito filhotes. Procriam sete ou oito vezes por ano.

- São onívoros. Tem preferência alimentar por cereais.

- Abrigam-se em espaços de paredes, de armários, de móveis, ou até mesmo entre os gêneros armazenados. Dificilmente distanciam-se mais do que 9 metros entre o local de abrigo e a fonte de alimentação. Geralmente são confundidos com filhotes de ratazanas ou de ratos

Roedores: biologia, controle e prevenção

Os roedores são uma das pragas urbanas mais temidas pela população em geral. Não é raro encontrar pessoas que se desesperam ao entrar em contato com um deles. A sensação de pânico que eles causam é bastante conhecida. Instintivamente, demonstramos pavor àquilo que pode ameaçar nossa integridade física, como os ratos ameaçavam na época das cavernas.

São também uma das mais pragas mais bem adaptadas ao convívio humano. Recebem do nosso ambiente tudo o que precisam para sobrevivência: água, abrigo e alimento em excesso. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, estima-se uma perda anual de 8 a 10% da produção mundial de grãos por conta do consumo ou estrago provocado pelo contato com urina e fezes dos roedores. Refletindo em prejuízos financeiros, só no Brasil ficaria na ordem de US$ 4 bilhões por ano.

Os roedores podem transmitir diversas doenças, como por exemplo, a leptospirose, a peste bubônica, o tifo murino, sarnas e micoses, entre outras. Por essa razão, o controle de roedores torna-se imprescindível, devendo ser tratado efetivamente como um problema de saúde pública.

Se você já se cansou de tentar eliminar os ratos a vassouradas, vamos ver se descobrimos alternativas mais eficientes. Todo programa de prevenção e controle aos ratos tem, de maneira geral, três fases diferentes, mas que são dependentes umas das outras:

desratização passiva;
desratização ativa;
manutenção dos resultados.

Desratização passiva

A chamada desratização passiva pode ser considerada a etapa mais importante de todas, pois envolve a prevenção da infestação por ratos. Ela inclui a mobilização social da população. Essa população deverá ser aconselhada com informações sobre o que fazer com o lixo doméstico (recipientes, locais etc.), limpeza de terrenos, remoção de entulhos etc.

Devemos destacar que, para haver ratos, são necessárias três coisas: alimento, água e abrigo. Portanto, a desratização passiva é a fase preparatória do controle propriamente dito que vai ser realizado.

Principais medidas para evitar ratos:

Não deixar alimentos ou restos deles expostos, guardar os alimentos em vasilhames tampados e à prova de roedores;

Colocar o lixo em sacos plásticos em locais altos do chão, colocando-o para coleta pouco antes do lixeiro passar;

Caso existam animais na sua casa, como cães e gatos, retirar e lavar os vasilhames de alimento do animal todos os dias antes do
    anoitecer, pois à noite ele pode servir de alimento para os ratos;

Manter limpos e desmatados os terrenos baldios;

Jamais jogar lixo à beira de córregos, pois além de atrair roedores, o lixo dificulta o escoamento das águas, agravando o problema
    das enchentes;

Grama e mato devem ser mantidos roçados, para evitar que sirvam de abrigo para os ratos;

Fechar buracos de telhas, paredes e rodapés para evitar a entrada dos ratos para dentro de sua casa;

Manter as caixas d’água, ralos e vasos sanitários fechados com tampas pesadas;

Lembre-se: uma vez instalados num determinado local, os ratos começam a se reproduzir, multiplicando-se muito rápido, o que
    dificulta o seu controle e aumenta o risco de transmitir doenças.

Desratização ativa

A desratização ativa abrange o conjunto de métodos e técnicas de controle direto aos roedores, como, por exemplo:

medidas higiênicas;
ratoeiras;
placas de cola;
baldes com água;
raticidas;
aparelhos de ultra-som;
métodos biológicos.

Dependendo do tamanho da infestação, devem-se adotar, em conjunto, dois ou três itens dos acima citados.

Medidas higiênicas

Abrangem todas as medidas de limpeza que são colocadas em prática para evitar os ratos, como não deixar alimentos expostos, jogar o lixo em local adequado e evitar o acúmulo de qualquer material que não tenha mais utilidade, para não criar abrigos para os ratos.

Ratoeiras

No caso de infestações leves, as ratoeiras podem ser úteis, principalmente onde há camundongos. Havendo grandes populações, as ratoeiras podem não dar bons resultados.

As melhores ratoeiras são as do tipo "quebra-costas". Elas devem ser colocadas nas trilhas que estão em uso pelos ratos ou então, perto delas, mas de preferência, nos dois lados dos buracos dos seus túneis (para ratazanas) ou em locais altos (para ratos-de-telhado). Os ratos evitam atravessar espaços abertos. Eles caminham encostados às paredes, que é onde devem ser colocadas as ratoeiras. Estas ratoeiras, do tipo gaiola, capturam ratos vivos. Quando se desejar matar camundongos, as ratoeiras podem ser armadas desde a primeira noite, pois eles não são desconfiados. Contra as duas espécies maiores, as ratoeiras devem ser colocadas em posição, com isca, mas não armadas, por três noites seguidas. Somente na quarta noite é que as ratoeiras podem ser armadas. Qual a razão desse procedimento? Lembre-se: o rato-de-telhado e ratazana são muito desconfiados....levam um tempo para se acostumarem com novas situações.

Deve-se colocar o maior número possível de ratoeiras ao longo do período de controle (1 a 2 dias para camundongos; 4 dias para os outros dois). No final desse tempo, retirar as ratoeiras, que poderão voltar depois de 1 a 2 semanas. Esses períodos são importantes porque acaba ficando difícil capturar ratos depois que alguns foram aprisionados: os sobreviventes descobrem o perigo que as ratoeiras representam e passam a evitá-las.

Se houver outros tipos de alimento no local, as ratoeiras poderão falhar até completamente, para ratazanas ou ratos-de-telhado. No caso de camundongos, elas funcionarão.

Placas de cola

Devem ser colocadas no caminho dos ratos. Estes, se capturados, não conseguem escapar da cola e morrem, depois de sofrerem uma longa agonia.

Baldes com água

Os baldes com água são armadilhas muito eficientes, em época de seca, para capturar e matar o rato-de-telhado.

Em um balde plástico (de mais ou menos 24 cm de diâmetro interno superior, 20 cm de diâmetro interno inferior e 28 cm de altura), coloca-se um pouco de água, de modo que a profundidade seja de apenas 8 a 10 cm. O balde deve ser colocado no alto, por exemplo, numa prateleira a 1,5 m ou mais de altura.

A superfície interna do balde deve ser bem lisa, sem "cascões" de tinta, machucaduras etc, para não permitir que o rato ache surperfície que facilite sua saída. Do lado de fora, deve haver um objeto que permita ao rato subir ao topo do balde.

Em São Paulo e estados vizinhos, o período de seca começa em abril ou maio e vai até setembro ou outubro. Quando a seca está muito forte, geralmente, em julho e agosto, o rato-de-telhado procura água para beber, pois não a encontra nas proximidades da construção onde vive. Ele desce ao fundo do balde e depois não consegue mais subir. A altura da água não permite ao rato apoiar-se no fundo (não "dá pé") e, em pouco tempo, já exausto, o rato morre afogado.

Com a volta das chuvas, a armadilha deixa de funcionar, pois os ratos encontram água próxima, em locais não suspeitos para eles.

Essa armadilha tão simples tem uma boa eficiência. Mas, devemos prestar atenção: se o balde tiver diâmetros internos superior e inferior iguais, a armadilha provavelmente não irá funcionar. Com as paredes verticais, o rato poderá conseguir subir por elas, apoiando as costas e as patas, e escapar da armadilha.

Raticidas

Os raticidas, venenos usados para matar ratos, aparecem, no comércio, sob a forma líquida, pós, iscas granuladas e blocos sólidos parafinados. As duas primeiras não são muito freqüentes. Já os granulados, por sua vez, são muito comuns. Os raticidas podem ser divididos em 2 grupos:

raticidas agudos: provocam a morte do roedor dentro das primeiras 24 horas após a ingestão. Todos se encontram fora do
    mercado, sendo sua venda proibida;

raticidas crônicos: matam o rato mais de após as primeiras 24 horas seguidas à ingestão. São compostos por anticoagulantes,
    interferindo no mecanismo de coagulação sanguínea e causando a morte dos roedores por meio de hemorragias internas e,
    eventualmente, externas.

É muito importante destacar que o uso de raticidas é extremamente perigoso e, havendo possibilidade, é sempre melhor evitar o seu uso. Quando utilizados, deve-se tomar muito cuidado, e recomenda-se que sua manipulação seja realizada por profissionais capacitados. Os raticidas são responsáveis por grande número de casos graves de intoxicação e envenenamento de pessoas e também de animais domésticos, como cães e gatos.

Aparelhos de ultra-som

Os aparelhos de ultra-som emitem sons de freqüências que não podem ser percebidas pelo ouvido humano, mas são perfeitamente ouvidas pelos roedores. O ultra-som irrita os ratos, e o objetivo de seu uso é causar a fuga dos ratos e evitar a reinfestação. Entretanto, em pouco tempo, os ratos acostumam-se às altas freqüências sonoras que são emitidas, e os aparelhos tornam-se inúteis.

Métodos biológicos

O uso de bactérias contra os ratos não tem dado resultados positivos. Assim, o controle biológico por microorganismos ainda está em fase experimental, não podendo ser recomendado. De forma quase idêntica, os predadores poucas vezes resolvem o assunto, pois cães e gatos parecem não representar grande perigo para os roedores.

Manutenção dos resultados

Se o problema de infestação de ratos foi bem resolvido, há a necessidade de inspeções, de tempos em tempos, e, mais importante, não se deve abandonar as medidas preventivas, que tornarão muito mais difícil a reinfestação.

Caso se verifique que ocorreu reinfestação de ratos, devemos novamente colocar em prática os métodos de controle.

Como acabar com os ratos

Os Ratos são classificados sistemática ciência que estuda a relação entre o organismo conforme sua classificação biológica como roedora esta é animais da ordem rodentia e ainda de família em setor de classe dos mamíferos, abrange os ratos comum como camundongos e ratazanas são animais que possuem uma característica própria desse grupo dentes incisiva, além disso, alguns aspectos externos como a coloração e o tipo da pelagem

        Dicas de como como acabar com Ratos

- Não deixar alimentos ou restos deles expostos, guardar os alimentos em vasilhames tampados e a prova de roedores

-Colocar o lixo em sacos plásticos em locais alto do chão colocando para coleta  pouco antes do lixeiro passar. 

-Caso existam animais na sua casa como cães e gatos retirar e levar os vasilhames de alimentos do animal todos os dias antes do anoitecer, pois a noite ele pode servir de alimentos para ratos.

-Manter limpos e desmatados os terrenos baldios

-Jamais jogar lixo na beira de córrego, pois alem de atrair roedores o lixo dificulta o esgotamento  das águas agravando problema de enchentes.

-Grama e mato devem ser cortados para evitar  que sirvam de abrigo para ratos.

-Fechar buracos de telhas paredes e rodapés para evitar a entrada de ratos em sua casa.

-Manter caixas de água, ralos e vasos sanitários fechados com tampas pesadas.

ou ligue e marque uma visita com um de nosso tecnicos.